#

patrocínio:

Lei de Incentivo à Cultura Petrobras
Brasil Memória das Artes
Conheça o Brasil Memória das Artes

O baião de Carmélia Alves e as novidades de Antônio Adolfo no Pixinguinha de 1978

O show, que contou com a participação de Vital Lima, refletiu momentos distintos da música popular brasileira da época

Vital Lima, Carmélia Alves e Antônio Adolfo, companheiros de estrada no Projeto Pixinguinha, em 1978.

Vital Lima, Carmélia Alves e Antônio Adolfo, companheiros de estrada no Projeto Pixinguinha, em 1978.

Mídias deste texto

Imagens (9 imagens)

Áudios (18 áudios)

  • < play >
    00:00 vol
    subir
    • Sá Marina – Antônio Adolfo

    • As luzes estão brilhando – Antônio Adolfo

    • Chicote – Antônio Adolfo

    • Aonde você vai – Antônio Adolfo/ Reis do baião – Carmélia Alves/ Baião – Carmélia Alves/Sabiá lá na gaiola – Carmélia Alves/ Cabeça inchada – Carmélia Alves/ Trepa no coqueiro – Carmélia Alves

    • Último pau de arara – Carmélia Alves

    • Travessia – Oswaldinho do Acordeon

    • Pout-pourri de improviso: Só nos baixos/ Vira e mexe/ Sinfonia n. 5/ Marcha dos marinheiros – Antônio Adolfo

    • Vermelhinho – Antônio Adolfo

    • Suíte – Antônio Adolfo

    • Teletema – Antônio Adolfo

    • Pastores da noite – Vital Lima

    • Boi bumbá/ Bandidos e bandidos – Vital Lima

    • Balaio – Vital Lima

    • Brinco de princesa – Carmélia Alves e Vital Lima

    • Viola de Penedo – Carmélia Alves

    • Vozes da seca – Carmélia Alves

    • João e Maria – Carmélia Alves e Vital Lima

    • Juliana – Carmélia Alves, Antônio Adolfo e Vital Lima

    descer

Em 1978, o baião de Carmélia Alves dividiu o palco com os ritmos novos da época, representados por Antônio Adolfo, com influências da bossa-nova e do rock. Essa foi a 14ª dupla a se apresentar pelo Projeto Pixinguinha naquele ano, juntamente com o então novato e promissor Vital Lima. A escolha desse terceiro integrante dava prosseguimento à iniciativa da Funarte de apresentar nomes ainda inéditos no cenário musical, ao lado de uma dupla de artistas já consagrados. O primeiro show desse trio foi no Rio de Janeiro, no projeto “Seis e Meia”. Depois, os três, mais os músicos Oswaldinho do Acordeon, Nilton (trompete), Zé Carlos (sax e flauta), Zequinha (bateria), Paulo César (contrabaixo) e Arecessoni Silva (zabumba), percorreram Vitória, Salvador, Maceió e Recife.

O Jornal de Brasília, em 16 de junho de 1978, afirmava que Antônio Adolfo, Carmélia Alves e Vital Lima juntos acabavam com as classificações forjadas pelo marketing. “Veja-se Oswaldinho na sanfona, tocando um forró moderno e clássico, entremeado de balanço nordestino, uma pitada da 5ª sinfonia de Beethoven e – aqui e acolá – dando a impressão de ritmo pop. Ou tudo isso e mais alguma coisa no ‘Brinco de princesa’, de Vital e Hermínio Bello de Carvalho, com a significativa participação de todos. É tudo música”, dizia a matéria.

Essa mistura de sons também é elogiada em A tribuna, em 14 de julho de 1978: “O show é excelente, bastante diversificado, sendo quase uma visão panorâmica da música popular brasileira atual, já que temos desde o baião de Carmélia Alves, o carimbó de Vital Lima, até o trabalho mais apurado, com recheios de jazz, rock e mesmo música erudita de Antônio Adolfo”. Além disso, a matéria chamava a atenção de quem fosse assistir ao show para “Suíte”, de Antônio Adolfo, onde dois temas eram muito bem desenvolvidos, “um solene no Flugelhorn e outro mais cantable na flauta”.

Carmélia Alves começou a carreira imitando Carmem Miranda em programas de calouros e acabou contratada pela rádio Mayrink Veiga. Mais tarde ganhou o título de Rainha do Baião, tendo Luiz Gonzaga como rei, com quem chegou a se apresentar no projeto “Seis e Meia”; Luiz Vieira como príncipe e Claudete Soares como princesinha. O título veio numa de suas excursões pelo país. “Durante um show no auditório da rádio Jornal do Comércio, em Recife, o público ficou tão entusiasmado que começou a gritar, me chamando de Rainha do Baião”, explicou Carmélia ao Correio Braziliense, em 15 de junho de 1978.

Antônio Adolfo começou a tocar piano aos 13 anos. Formou conjuntos de jazz e bossa-nova para festinhas de fim de semana e cursou Direito até o segundo ano. Mais tarde, já profissionalmente, fez parte do trio 3-D e do conjunto de Elis Regina. Com Tibério Gaspar, formou o grupo “Brazuca”, que venceu a fase nacional do V Festival Internacional da Canção, com a música “BR-3”. No Jornal de Brasília, de 31 de dezembro de 1978, Antônio Adolfo ganhou destaque pelo lançamento de seus dois LPs, Feito em casa e Encontro musical, “produtos de uma experiência corajosa e renovadora na MPB dos anos 1970 – a produção independente”. Para o pianista, a produção independente das gravadoras era a única maneira de o músico trabalhar em liberdade.

Vital Lima, então um jovem compositor paraense que havia se destacado no I Festival de Música Universitária, em Belém, também estudou Direito, e também abandonou o curso, no terceiro ano. Ele ficou em segundo lugar com a canção “Por tua causa nº 2”, na voz da ainda desconhecida Fafá de Belém, que também foi premiada. Vital Lima veio para o Rio de Janeiro em 1975 e gravou o primeiro LP, Pastores da noite, três anos depois. Antes do show com Carmélia Alves e Antônio Adolfo, o cantor já havia se apresentado no projeto “Seis e Meia”, com Marlui Miranda e Oswaldo Montenegro.

Compartilhe!

Caro usuário, você pode utilizar as ferramentas abaixo para compartilhar o que gostou.

Comentários

0

Deixe seu comentário

* Os campos de nome, e-mail e mensagem são de preenchimento obrigatório.

Textos

leia todos os 212 textos deste acervo »

Imagens

veja todas as 301 imagens deste acervo »

Áudios

ouça todos os 783 áudios deste acervo »

  • Músicas
    • + info
      • Título: O passarinho cantou
      • Intérprete(s): Show Ivan Lins e Nana Caymmi
      • Compositor: Ivan Lins e Vitor Martins
      • Ano: 1977
      • Gênero: Ao Vivo
      • Faixa: 18/18

     

    O passarinho cantou - Nana Caymmi e Ivan Lins

  • Músicas
    • + info
      • Título: Pisando em brasa
      • Intérprete(s):
      • Compositor:
      • Ano: 1978
      • Gênero: Ao Vivo
      • Faixa: 22/22

     

    Pisando em brasa - Canhoto da Paraíba

  • Músicas
    • + info
      • Título: Nascente
      • Intérprete(s):
      • Compositor:
      • Gênero: Ao Vivo
      • Faixa: 11/11

     

    Nascente – Beto Guedes

Vídeos

veja todos os 88 vídeos deste acervo »

  • Cachaça, árvore e bandeira – Moacyr Luz

    Cachaça, árvore e bandeira - Moacyr Luz

    Shows
  • DVD Funarte – Pixinguinha 2005 – Documentário – parte 10 de 10

    DVD Funarte – Pixinguinha 2005 – Documentário - parte 10 de 10

    Documentários
  • DVD Funarte – Pixinguinha 2006 – parte 05 de 05

    DVD Funarte – Pixinguinha 2006 – parte 05 de 05

    Documentários