#

patrocínio:

Lei de Incentivo à Cultura Petrobras
Brasil Memória das Artes
Conheça o Brasil Memória das Artes

A carreira de Juan Cardona, o mestre dos excêntricos

O espanhol Juan Cardona levou a arte circense para o mundo, até desembarcar no Brasil, em 1906

Juan Cardona

Juan Cardona

Mídias deste texto

Imagens (15 imagens)

Rio de Janeiro, 1906. Desembarcam na cidade o espanhol Juan Cardona, sua mulher, a inglesa Lili Cardona, e a família dela, os Teresa. Todos profissionais de circo. No Brasil, Juan tornou-se João Cardona e foi apontado como o maior dos excêntricos – como eram chamados os grandes palhaços, os muito criativos. Introduziu o estilo clown no país e, tio de Oscarito, era considerado pelo ator, um grande mestre.

Juan Carbona Garbin nasceu em Valência, na Espanha, em 27 de janeiro de 1872. Queriam seus pais que fosse carpinteiro, mas, ainda na infância, já manifestava propensão para as artes malabares. Com 8 anos apenas, fugiu de casa para executar piruetas e cambalhotas nos campos próximos. Por essa altura, foi à Valença uma trupe dirigida por David Barnabé. “Escapuli aos meus ocultamente e pus-me a acompanhá-la. Com isso não se conformou meu pai, que pôs no meu encalço a polícia, que conseguiu ‘apreender-me’ a 16 léguas de distância, as que tive de vencer a pé para regressar a casa paterna”, contou em entrevista ao jornal Eco da Tarde, em 1926.

Tendo falhado assim a primeira tentativa que fez para consagrar-se ao “ofício” desejado, Juan, 15 dias depois, tornou a lançar-se à aventura, o que levou o pai a convencer-se de que devia fazer a vontade do filho. Combinou então com o diretor da trupe que seu filho seria um “discípulo”, o que efetivamente se realizou. Logo no primeiro espetáculo, executou números de voos em trapézios volantes e trabalhos equestres. E, durante oito anos consecutivos, exibiu-se ao público dessa maneira.

Não sendo, porém, concedida a permissão para desligar-se dessa companhia, voltou a fugir para ir trabalhar por sua própria conta e conseguiu ser contratado, por uma quantia irrisória, para um número de aeronáutica, o qual Juan executava subindo em um balão desprovido de cesta, amarrado por um pé a uma corda. Tinha também que descer enquanto o balão subia, graças a um sistema de nós que, habilmente feitos, logo se desfaziam com o peso do corpo e o arranco do balão. “Esse número custava-me às vezes ter de cair ao mar ou sobre telhados, quando descia o aeróstato, tendo arriscado assim a vida durante três anos”.

Quando abandonou esse número de aeroacrobacia, Juan ingressou na companhia Primitivo Vidal, executando números de barra, trampolim, saltos, pantomimas e mímica. Depois, juntou-se à companhia de Vicente Alegria, contratado como excêntrico, onde esteve por cerca de três anos. Seguiu depois para Madri e juntou-se ao Circo Price, dirigido por William Parith. Lá, recebeu do rei Affonso XIII uma caixinha de borracha, que continha um alfinete de gravata de ouro, cravejado de brilhantes.

Manteve-se algum tempo no circo de William até ir para Lisboa, onde fez seis temporadas, de seis meses cada uma. Depois, foi diretor interno do Real Colyseu, e em seguida percorreu a Europa, passando por França, Itália, Alemanha, entre outros países, até voltar por fim a Madri, onde foi trabalhar em cinemas. Foi quando apareceu o representante de uma empresa sul-americana, contratando-o e ao seu grupo para fazerem uma turnê pela América do Sul.

De Manaus, onde chegaram, foram pelos estados do Norte do Brasil até o Rio de Janeiro, onde ingressaram em um sábado, fazendo a primeira exibição no Theatro São José. No domingo, porém, à hora do espetáculo, o tal empresário desapareceu. Foi quando surgiu Paschoal Segreto, que, penalizado com a situação dos artistas, contratou o transformista Silva de Carvalho, o dueto de cantores Los Doretos e a Juan, o excêntrico Cardona. Foram para o Moulin Rouge, onde durante três meses conquistaram as boas graças do público carioca. Em São Paulo, para onde foram em seguida, obtiveram o mesmo resultado, permanecendo três meses. Lá, Juan recebeu uma carta de Affonso Spinelli oferecendo um bom contrato.

“Em 1908 eles conseguem um contrato no Circo Spinelli para toda a família Teresa. Eram eles: Marcelino Teresa, pai de Lili, Lizzie Stuart Teresa, a mãe, e os irmãos Lourenço, Oscar, Oni, Júlia e Afonso. Todos eram artistas excepcionais e por muitos anos trabalharam no Circo Spinelli. Lili Cardona representou com Benjamin Oliveira inúmeras peças, tendo criado a protagonista Viúva Alegre. O casal Juan e Lili teve quatro filhos: a atriz Pilar Cardona Grijó, que casou-se com o ator Grijó Sobrinho, o ator Oscar Cardona, casado com a atriz Henriqueta Romani; Antonio, ator e bailarino, e Faust, diplomata”, conta Alice Viveiros de Castro em seu livro O Elogio da Bobagem.

Com Affonso Spinelli, realizaram uma turnê por quase todos os estados do Brasil, até aparecer um representante da Frambon, e Juan ser contratado para ir a Buenos Aires, onde fez duas temporadas de cinco meses. “Esse senhor ofereceu-me para pagar-me todas as despesas minhas e de minha família, com a condição de eu ir fixar residência na capital Argentina; oferta essa que recusei, por agradar-me mais a pátria de um de meus filhos, onde, aliás já possuía alguns bens”, revelou Juan. Voltou então para o Rio, onde trabalhou para alguns teatros.

“Eis aí resumidamente o que posso dizer sobre minha acidentada carreira e, como estou a terminá-la, não quero passar despercebida a minha vontade de poder enfim consagrar-me à minha família, que consta, além da minha esposa Lili Cardona, de quatro filhos que possuo, dos quais um está em Barcelona, outro cursa aulas no Colégio Pedro II e outro trabalha no palco do Cinema Íris, tendo eu mais uma filha, que é consorciada com o ator Grijó Sobrinho”.

Juan Cardona nasceu em 1872, na cidade de Castellón de la Plana, na comunidade de Valência, e faleceu em março de 1932, no Rio de Janeiro.

Informações retiradas da entrevista de João Cardona ao jornal Eco da Tarde, de 13 de junho de 1926.

Assuntos relacionados: ,

Compartilhe!

Caro usuário, você pode utilizar as ferramentas abaixo para compartilhar o que gostou.

Comentários

1

Deixe seu comentário

* Os campos de nome, e-mail e mensagem são de preenchimento obrigatório.

FELIZ

enviado em 13 de dezembro de 2012

Ha muito buscava , conhecer com mais dados ,a origem dos meus antepassados por
parte do meu pai, Othelo Grijo , filho da atriz Pilar Grijo (minha avó); e do ator Grijo Sobrinho.Que atuava nos teatros. e também nos filmes da Vera Cruz, com o Oscarito.Ate hoje assisto seus filmes na TV. Tenham certeza que este achado. é o meu presente de aniversario agora no dia 19/12/2012. Agradeço a Deus ,e as pessoas que se empenharam,para que as informações sejam perpetuadas.

Textos

leia todos os 38 textos deste acervo »

Imagens

veja todas as 366 imagens deste acervo »

Áudios

ouça todos os 26 áudios deste acervo »

  • Entrevistas
    • + info
      • Título: Entrevista Ankito
      • Intérprete(s): Ankito
      • Ano: 2006
      • Faixa: 1/1

     

    Entrevista com Ankito

  • Entrevistas
    • + info
      • Título: Entrevista com Carmen Silva
      • Intérprete(s): Carmen Silva
      • Ano: 2006
      • Faixa: 1/1

     

    Entrevista com Carmen Silva

  • Entrevistas
    • + info
      • Título: Entrevista Louzadinha
      • Intérprete(s):
      • Ano: 2006

     

    Entrevista com Oswaldo Louzada

Vídeos

veja todos os 14 vídeos deste acervo »

  • Dulcina, atriz e teatro (english)

    Dulcina, atriz e teatro (english)

    Videodocumento
  • Dulcina, atriz e teatro (française)

    Dulcina, atriz e teatro (française)

    Videodocumento
  • Dulcina, atriz e teatro (español)

    Dulcina, atriz e teatro (español)

    Videodocumento