Escolhidos pelo MinC, Funarte e Apex-Brasil, artistas Brasileiros se apresentam no Micsul, na Colômbia | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialArtes IntegradasTodas as notíciasEscolhidos pelo MinC, Funarte e Apex-Brasil, artistas Brasileiros se apresentam no Micsul, na Colômbia

Escolhidos pelo MinC, Funarte e Apex-Brasil, artistas Brasileiros se apresentam no Micsul, na Colômbia

Atrações fizeram parte da abertura do encontro internacional de empresários culturais sulamericanos

Publicado em 19 de outubro de 2016 Imprimir Aumentar fonte

Ministério da Cultura e Apex-Brasil selecionaram empreendedores de cultura brasileiros que participam do evento

Como parte da programação do Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul), iniciado ontem, segunda-feira, dia 17, em Bogotá, Colômbia, artistas brasileiros apresentaram espetáculos de música, dança e circo, na noite de domingo (16). As atrações foram escolhidas pela Fundação Nacional de Artes – Funarte e Ministério da Cultura, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O Ministro da Cultura, Marcelo Calero prestigiou o evento. O diretor do Centro da Música da Funarte, Marcos Lacerda, e Fabiano Carneiro, coordenador de dança (Ceacen) representam a instituição. Pela Apex-Brasil, está presente seu gerente de Exportação, Christiano Braga.

Em realização de 16 a 20 de outubro, o Micsul é destinado a micro e pequenos empreendedores de diversas áreas da cultura. A Apex-Brasil.e o MinC subsidiaram a participação de 61 empresários culturais brasileiros no evento, selecionados por edital.

O elenco de artistas do Brasil que animou o show de abertura reuniu o cantor pernambucano Siba; o duo gaúcho Nina Wirtti e Luis Barcelos; e a São Paulo Companhia de Dança – estes na agenda oficial – ; além e do espetáculo #Passinho, do Rio de Janeiro (RJ), e do Circo Girassol, de Porto Alegre (RS). Realizado através de uma curadoria, O processo de seleção desses talentos observou critérios como: “linguagem formal e estética”, “contemporaneidade”, “presença de traços da cultura brasileira”; e “capacidade de dialogar com o público dos outros países”.

o Micsul é uma iiciativa de ministérios da cultura de dez países sulamericanos Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Peru, Paraguai, Uruguai e Venezuela; A conferência conta com rodadas de negócios e várias outras programações, é direcionado a “mercados culturais e criativos”. considerada como o maior evento internacional regional dirigido ao setor no continentE.

Empreendedores brasileiros de seis setores das indústrias culturais: audiovisual, livro e leitura, música, artes cênicas, videogames e design (incluindo moda) foram contemplados com a participação, através de chamamento público da Apex-Brasil e da Secretaria de Políticas Culturais do MinC. O edital foi disponibilizado no site do Ministério no 6 de Julho.

As apresentações artísticas de abertura, incluindo as do Brasil, aconteceram no espaço cultural Cine Tonala, na capital Colombiana. A cantora Nina Wirtti e o bandolinista Luis Barcelos apresentaram um show de músicas brasileiras, com destaque para o samba e o choro. Para a cantora, participar do Micsul é uma oportunidade de conhecer novos artistas e difundir seu trabalho”. “Para a gente, que não tem um nome tão reconhecido no Brasil, nem na América Latina, é uma oportunidade para o nosso trabalho e também para sermos parte desse movimento que visa essa maior integração cultural entre os países da região. Nina acredita que o evento pode trazer uma “troca cultural” intensa entre os participantes.

O Circo Girassol, de Porto Alegre (RS), realizou Vertigens, um espetáculo que mistura teatro, dança e acrobacia. Uma das integrantes do grupo, Débora Rodrigues, considerou que a presença no Micsul é uma excelente chance para mostrar seu trabalho para pessoas de outras culturas. “A gente viaja pelo Brasil, mas essa é a primeira (e excelente) oportunidade de levar para fora do país, para outras pessoas saberem o que é feito na nossa pesquisa lá na Região Sul”, afirmou

O grupo de dança #Passinho, da capital fluminense, mostrou ao público alegria e muita música brasileira, com destaque para o funk, o frevo e o hip-hop . O dançarino GN Fabuloso, integrante do grupo, disse que, em pouco mais e um ano, eles se apresentaram em vários estados brasileiros e em outros países. Ao comentar sobre o reconhecimento do trabalho, ele se emocionou: “A gente dança há nove, dez anos, e isso de viagens, de se hospedar em hotéis,veio a acontecer com a gente de um ano para cá. É um reconhecimento de poder falar que a gente trabalha com dança”.

Sobre o Micsul

No Mercado de Indústrias Culturais do Sul, os empreendedores participantes tem a chance de apresentar seus produtos e serviços, trocar experiências e formar parcerias para futuros negócios. Apex e o MinC realizaram oficinas de capacitação para os selecionados brasileiros em sua etapa de preparação, com o objetivo de dinamizar seus resultados.

Os organizadores do Micsul esperam reunir um total de cerca de 3 mil pessoas na confer~encia. Eles calculam que lá estejam reunidos 500 compradores e fornecedores da a América do Sul e 60 compradores de países de outros continentes, como Polônia, Estados Unidos, China, França e Reino Unido.

Além de estandes institucionais, o evento tem fóruns de discussão, rodadas de negócios; cafés setoriais; desfiles de moda; “showcases” de música e artes cênicas; e sessões de pitching (nas quais serão feitas apresentações, para atrair investidores ou clientes.

A primeira edição do evento foi realizada em Mar del Plata, na Argentina, em 2014, e incluiu 100 projetos brasileiros. Em 2018, o Brasil sediará a terceira edição.

A cultura como ferramenta de desenvolvimento

A respeito da conferência, o ministro da Cultura, Marcelo Calero destacou:”A cultura se coloca, mais uma vez, como uma ferramenta importantíssima para o desenvolvimento de um continente solidário. Mais uma vez, os empreendedores culturais se reúnem para que possamos fazer um efetivo intercâmbio entre modelos, entre experiências que nós tenhamos desenvolvido em nosso continente”.

Para o gerente de Exportação da Apex-Brasil, Christiano Braga, o Micsul é uma oportunidade importante para que os empreendedores brasileiros busquem parcerias, intercâmbios, troca de conhecimentos e informações. Ele lembra que o Brasil poderá gerar negócios com diversos países, como a própria Colômbia, “que vem crescendo muito neste setor”, a Argentina e o Peru, entre outros.

Com informações do site da EBC (Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil, a convite da Apex-Brasil – com edições de Nádia Franco e Kleber Sampaio) e do site do Ministério da Cultura (com texto da Assessoria de Comunicação do MinC). Editado pela Assessoria de Comunicação da Funarte